Click Fatal !

Uma decisão perigosa, ouso pensar assim ! foi a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) de condenar 2 mulheres por compartilhar uma informação da rede social, segundo o denunciante, o compartilhamento era uma ofença e prejuizo pessoal, sim , esta condenação ocorreu esta semana e ainda foi recomendada como jurisprudência, quer dizer que pode servir como padrão para outras decisões iguais, e isto é péssimo para o desenvolvimento da internet no Brasil, porque isto não é comum em outros países, sobretudo nos países onde a internet está maior.

 

O grande problema disto, é o clássico abismo que existe entre o mundo real e o mundo virtual, é uma diferença que persiste através da ignorância mesmo das pessoas que não entenderam este mundo ! é muito estranho, pessoas que não conhecem o mundo da rede , tomarem decisões sérias sobre oque acontece na internet.

 

Da mesma forma, as empresas que vemdem CD de música, teimam em manter seu mercado, e não vender músicas separadamente, processam sites que tentam fazer algum tipo de comércio, e qurem manter as coisas como sempre foram … da mesma forma, o mundo real insiste em não admitir o nível de liberdade que existe na Interet. 

 

Em 1995 quando a Internet começou no Brasil, todos que precisassem de um domínio .com.br precisavam ter emrpesa aberta e informar um CNPJ, isto mesmo ! com nosso CPF não era possível ter um domínio .com.br, enquanto no resto do mundo somente com nome e endereço poderiamos registar um domínio .com, o Brasil ainda insistia em não copreender o mundo novo.

O Comitê Gestor da Internet Brasileira muduo isto, e finalmente, sometne com CPF é possível ter um domínio .com.br, todos nós que usavamos a internet desde 1995, sabiamos como era absurdo esta regra de precisar informar um CPNJ, e isto causou muito problema no desenvolvimento da Internet no Brasil, até alguém chegar e consertar este grande atrazo.

 

 

Cena Filme Matrix

Cena do Filme da Matrix ( Warner )

 

 

A decisão do Tribunal, divulgado pelo Desenbargador José Roberto Neves Amorim, assinala que a Justiça ainda não copreendeu a rede, não entendeu que ela aproxima as pessoas, da mesma forma que omitimos uma opinião a um amigo dentro de casa, emitimos na internet com um click, com a opção “curtir” ou “compartilhar” do Facebook, mas este tipo de entendimento parece longe do pessoal, que afinal, não nasceu na era internet, e é copreensível que não entendam profundamente mesmo, sim ! ainda estamos na idade da pedra no Brasil, muitos setores governamentais não entendem este mundo novo.

 

De qualquer forma, qualquer um que tiver alguma coisa sobre sí públicado na Internet e que não goste, ou não goste de alguma observação que façam, não só quem escreveu mas todos aqueles que simpatizaram com um click, estarão sujeitos a condenação. Para quem vive o tempo todo na Internet, trabalhando ou ultilizando como meio de diversão, vê isto como absurdo ! mas este absurdo só será percebido pela justiça, talvez em 10 ou mais anos.

 

Simplismente, lamentável.

 

 

 

Mais:

 

 

 

 

 


 

Deixar uma resposta

Confirmação anti-spam *